domingo, 14 de novembro de 2010

Invisível.



Saio em todas as direções, saio da minha rotina, saio da minha pacata vida. Caminho em todos os lugares aparentemente diferentes, falo com pessoas aparentemente simpáticas, e permaneço em locais aparentemente seguros. Mas eu somente tento me distrair, e esquecer o fato, de que procuro por alguém invisível, ou ainda inexistente. O '' eu'' que está fadado a sempre encontrar defeitos, e colocá-los acima das grandes qualidades. Procurando o alguém que nunca vai estar entre ''o ideal''. Fechando meus sentimentos. Trancando o que eu realmente sinto. Escondendo o que eu chamo de amor. E esquecendo o que realmente importa, esquecendo o que eu de fato procuro de início, e o que vale a pena deixar pra lá, e esquecer. Eu somente quero um conforto, um afeto, um braço acolhedor. É pedir demais? Afinal, acho que almejo mais do que posso. Não posso querer enxergar, o que aparentemente está invisível, transparente, inexistente, e assim, vai permanecer.

Um comentário:

ivebelinha disse...

hey!hey! vou te dar umas dicas, aproveita que é natal, e o ano novo já ta aí, talvez o que vc procure não esteja (e não está de fato) aonde vc anda procurando. juliana, procure primeiro sua felicidade dentro de vc mesma, naquilo que vc faz que te conforta, que te trás paz e tranquilidade.
somos invisíveis apenas quando nos permitimos ser invisíveis, não o mundo que nos torna assim. se o que procura é invisível, transparente, inexistente realmente vc nunca vai ver, mas no dia que encontrar vai sentir.
eu tenho certeza que tem gnt que lhe quer muito bem e que está pronto pra lhe dar o que deseja que realmente não é nada difícil. só que as vezes a variedade com que as coisas fúteis ao redor nos apresenta é mais tentador do que aquilo que é verdadeiramente bom que está bem de baixo do nosso nariz.
pense bem sei que vc vai ganhar esses presentes. o seu papai noel pode ser quem menos espera. te desejo muita sorte e que vc possa realizar esse seu desejo.
XoXo Ivy Brandão